Como vender mais em marketplaces?

Convenção da ANL chamou Ana Maia (Magalu / Estante Virtual), Gabriela Souza (Mercado Livre) e Eduardo Cunha (Bookinfo / Yandeh) para responderem a essa e outras perguntas no seu primeiro dia de palestras

Ana, Gabriela e Eduardo | © Nilson Hashizumi/ANL

Durante a pandemia de covid-19, as livrarias físicas foram obrigadas a fecharem as portas e os marketplaces acabaram ganhando ainda mais importância. A livraria que ainda não estava preparada ou fechou as portas de vez, ou correu para se atualizar e levar seus livros para o ambiente virtual.

Com muitas lojas investindo no on-line, as dúvidas certamente surgiram e para responder algumas delas, a Convenção da ANL chamou Ana Maia (Magalu / Estante Virtual), Gabriela Souza (Mercado Livre), e Eduardo Cunha (Bookinfo / Yandeh).

Cunha começou a conversa dizendo que enxerga o marketplace como um complemento da livraria e questionou Ana e Gabriela sobre o perfil dos livreiros que fazem parte da Estante Virtual e Mercado Livre, respectivamente. “Trabalhamos com uma gama muito ampla de livreiros, durante a pandemia vários deles nos contataram, mas digo sempre que tem que entender sobre o cadastro, da frequência de atualização e de preços”, aconselhou Ana.

Falando sobre o algoritmo, Gabriela explicou que, no Mercado Livre, o essencial é o pré e o pós-venda. “É importante sempre responder rápido as dúvidas do cliente, e no pós, é importante ser ágil e deixar o cliente sempre a par da situação, a par do prazo de entrega e responder todas as dúvidas”, contou.

Atendimento, cadastro e modal logístico. São esses os principais pontos, segundo Gabriela, que devem ser levados em conta pelos livreiros que utilizam o Mercado Livre. “O produto, para ter destaque, precisa de um cadastro legal, atendimento rápido e estar na modalidade Full, isso é garantia de uma conversão muito maior e relevância nos anúncios”, explicou Gabriela. Ela falou ainda sobre o fator da geolocalização. “Não adianta a livraria só estar próxima do leitor, se ela não tem um atendimento legal, não vai ser a geolocalização que vai ajudar e fazer a diferença”, finalizou.

No caso da Estante Virtual, Ana explicou que, por vender só livros, a plataforma já tem um público mais qualificado. “Se o livreiro estuda as informações do marketplace, ele pode perceber oportunidades escondidas”, disse.

E sobre o horário e agilidade na postagem do produto? Como usar esse fator como estratégia? No Mercado Livre, o livreiro sempre vai começar trabalhando com os Correios e tem 24 horas úteis para despachar o produto. “Quando o livreiro sobe de nível, é preciso que o livro seja enviado no mesmo dia e por uma agência do Mercado Livre”, explicou, acrescentando que “pedidos após o horário de corte, caem para o outro dia”.

Sobre o preço, tanto Ana quanto Gabriela frisaram que esse não é o fator mais importante. “É importante ter um preço competitivo, mas isso não é determinante e, graças a Deus, o Mercado Livre está perdendo essa cara de que você precisa ter preço muito baixo pra conseguir vender”, admitiu Gabriela.

E o que é mais importante? Dar desconto no seu livro ou participar de campanhas dos marketplaces? “Aderir às campanhas do Mercado Livre conta bastante no algoritmo”, respondeu rapidamente Gabriela durante a conversa e Ana logo completou: “Na Estante Virtual também sempre antecipamos campanhas, então é bom ficar de olho. Volto a dizer, inteligência na gestão e estar antenado é essencial”, disse. Para ambas, a conexão do catálogo com o markeplace e o uso de metadados, são pontos que merecem atenção.

Para finalizar, as duas falaram sobre a importância dos marketplaces e como usá-los como estratégia e complemento na renda. “Acho que é notório que não tem saída, o livreiro tem que ter uma visão on-line e off-line e lembrar que isso significa uma expansão para o Brasil inteiro”, disse Ana.

Já Gabriela lembrou que o livreiro que não está on-line já está atrasado. “O Mercado Livre tem ferramentas que ensinam você a vender e como performar lá dentro”, lembrou, dizendo ainda que a categoria de livros está muito em alta na plataforma. “Tem muita coisa que estamos desenvolvendo para ajudar os livreiros e que vão ser lançadas nos próximos meses”, adiantou.

Fonte: Publishnews